segunda-feira, 13 de junho de 2016

Othello Federação Ltda




Othello Federação Ltda

Olá a todos,

Já faz oito meses desde a minha postagem explanando os problemas do atual cenário da FBO e ideias para engajar um caminho, e eis que tivemos sim alguns avanços, como por exemplo, os contínuos torneios e copas realizados em Nova Odessa e região por Moisés Jr. que tem sido nosso mais importante entusiasta nos últimos tempos. Fora ideias futuras como o reconhecimento da Secretaria Estadual de Esportes do Othello como um esporte oficial, e nesse momento a coisa vai dar uma guinada magnífica, porque poderemos ter esse patrocínio estatal (não sou nenhum fã e idólatra do Estado, mas como eu disse antes, para esse jogo “morto” que tanto amo, qualquer ajuda é bem-vinda) e isso permitirá quem sabe, montarmos e enviarmos uma equipe brasileira ao Campeonato Mundial nos próximos anos. Mas e ai, o que é necessário para pularmos essa fase do jogo e irmos adiante? Depende, se a sua intenção for realmente ver o jogo Othello num patamar de reconhecimento ao menos próximo a uns quarteirões do que é visto no Xadrez, existem três respostas: A primeira eu já encimei, é por meios governamentais, que é basicamente o que tem sido feito nos últimos meses lá em Nova Odessa, uma outra opção seria por meios de patrocínio comercial, que é o que só houve uma única vez na história desse jogo aqui no Brasil, lá no ano de 2004 com a Grow  (nos campeonatos mundiais e no Japão, empresas patrocinam os eventos de forma corriqueira), a outra opção é a da atitude pessoal, aquela em que você mesmo sem a ajuda de ninguém monta sua página no Facebook, Blog; Youtube; Whatsapp e Dissemina o jogo. E das duas outras alternativas que nos restam além do governo, essa independente é a que mais gosto, pois com ela não precisamos “pedir esmola” de ninguém, e podemos fazer o jogo crescer novamente que com o tempo, trariam patrocinadores para o jogo, os novos empreendedores querendo relançar o jogo aqui no país em grande escala, sem necessariamente dar ouvido ao copyright Othello, mas sim ao jogo Reversi. Como já falei aqui no blog, a empresa Ludens Spirit relançou o jogo aqui no país com a patente “Yin-Yang”, e isso já foi de grande ajuda a todos, mas podemos ir adiante, imagina a Hasbro ou quem sabe, a Estrela relançando o jogo aqui no país? (a Estrela já tem a categoria de jogos chamada “Academia da Mente”, então não seria impossível isso).

Mas e então, o que está acontecendo agora?

Bom, todo o levante reversista tá indo muito bem em Nova Odessa, de escola em escola, de cidade em cidade, mas para ir mais à frente é necessário algum reconhecimento oficial, que para a Secretaria de Esportes só se pode ter através de um sítio oficial, que no caso do Reversi seria através da página da Federação Brasileira de Othello, que é o órgão reconhecido internacionalmente pela World Othello Federation como a representante do jogo Othello no país, tudo seria muito fácil se não houvesse um porém:  Esse, que é o órgão que deveria dar todo tipo de subsistência àqueles que queiram divulgar o jogo está totalmente inativa há dois anos, sem nenhuma atualização e ainda com total dependência de hospedagens caríssimas ao ano, (cerca de 400.00 Reais Anuais) e como que ainda não fosse o bastante, ao que parece ser, se iguala à “Othello Club Deutschland” que seria o Club Alemão de Othello, que tem um dono, que é algo que jamais deveria acontecer com um órgão desses. Ao meu ver, e acho que todos concordam com isso, a Federação Brasileira de Othello é de todos! Óbvio que não necessariamente significa que qualquer um poderia mexer e implementar diretrizes ao bel-prazer, algo como uma cooperativa que se recicla uma vez a cada ano ou a cada dois anos que fosse, mas dando a possibilidade a todos que realmente têm um real comprometimento com o jogo de atuar, de decidir metas de acordo com as exigências da WOF e que dessem guinadas na propaganda do jogo no país. A Federação Brasileira de Othello nunca, jamais poderia ter um dono, (pois ao que parece, “quem paga a hospedagem do site praticamente é o dono” já que não acredito em altruísmo nesse caso) que é o que tem parecido acontecer aqui no nosso país. A FBO, atualmente não faz absolutamente nada, além dos pífios campeonatos protocolares com no máximo 4 a 6 jogadores por ano, e vira e mexe manda os resultados à WOF, que diz OK, valeu.

Temos algumas sugestões para o impasse?

Sim, a primeira delas é redemocratizar a FBO, que atualmente nem mesmo as ditas eleições presidenciais acontecem mais a cada ano como exige a regra, o nosso atual presidente é realmente muito bom, mas assim como qualquer outro membro da diretoria da FBO, vive de mãos atadas por não conseguir nem mesmo permissão para mexer no site, até mesmo eu que era incumbido disso tive minha senha extinguida sem mais nem menos, (Ok, sumiu e durante dois anos não teve atualizações no site, qual seria o papel do “dono” do site? Reparar na ausência de postagens e se preocupar, não? O que houve foi somente um total desmazelo) Outra ideia que foi sugerida foi a de encontrar uma nova hospedagem ao site da FBO que fosse deveras mais barata e independente, o que foi rechaçado pelo “dono da FBO”, que preferiu respostas evasivas e desconexas,  foi também sugerido que  já que o site tem que ficar nas mãos de uma pessoa (“dono”) que fosse nas mãos de uma pessoa comprometida, como é o caso da Federazione Nazionale Gioco Othello Italian Othello Federation que é um site criado por Biagio Privitera e que ao mesmo tempo é o maior entusiasta do jogo no Itália, é meio ditatorial? É, mas ao menos ele não atravanca o jogo em seu país. Outro caso é o da Ivory Coast Othello que nem sequer tem um website, mas que tem como “dono” Jeannot Ourega, que é também o maior entusiasta do jogo Othello na Costa do Marfim e, por que não, de todo o continente africano. Ainda a tempo, acontece o mesmo no Japão com o presidente Goro Hasegawa que é meio que um Rei na história desse jogo na era moderna, mas que ao invés de atravancar, ele faz a coisa toda andar lá no Japão e no mundo. Aqui no Brasil a atual pessoa mais comprometida e com tempo em período integral para isso seria o Moisés Jr. mas o máximo que lhe foi concedido pelo “dono” da Federação Brasileira de Othello foi um login (todos à serviço do Faraó?)no site, porém sem se esquecer que para atualizar o mesmo necessita enviar emails para um empregado que trabalha no prestando serviço à plataforma de hospedagem, para ai sim, depois de uns três dias a pessoa publicar/alterar o que você pediu, e com sorte não ter erros na postagem. Como eu disse antes, o site da Federação Brasileira de Othello é um dos mais bonitos do ramo que eu já vi, e é cheio de ferramentinhas interessantes, mas sua total dependência de terceiros para manutenção das informações (empregados da plataforma de hospedagem) e como se não bastasse, com o total e atual único domínio de uma pessoa só que não abre mão da propriedade da FBO e que não deixa “ninguém mais brincar” com o seu brinquedinho, a coisa tá mais parecendo o regime fascista de Benito Mussoline “Tudo no Estado, nada contra o Estado, nada fora do Estado” é só trocar o nome Estado por FBO.  Mas, esquenta não, eu tenho uma boa notícia para vocês... não é uma real exigência da WOF ter um site específico para dar-lhe o nome de “Acrópole” como os antigos gregos denominavam o santuário político e filosófico das cidades, que eram sempre situados nos montes na Grécia Antiga, por motivos estratégicos e simbólicos, nesse caso a WOF pode reconhecer uma casinha de madeira localizada abaixo de um barranco, com um humilde marceneiro morando nela, como o representante da propaganda reversista no país, ou seja, não é necessário website algum! Algumas federações e associações não têm website e mesmo assim são de total atividade no escopo mundial, não há prevaricação desses reais colaboradores e apaixonados pelo jogo, eles energizam o jogo em seus respectivos países, que é o caso da Denmark Othello Federation com o Henrik Vallund, a Suomi Othello Finland Othello Federation com o grande jogador Lari Pihlajapuro, e um outro exemplo aqui  mesmo na América Latina seria o Club Argentino de Othello que tem Daniel Olivares sempre atualizando seus compatriotas, nos três casos através do Facebook. Ou seja, nós podemos com todo o respeito dar uma “banana” ao Website FBO e fazermos nossa divulgação nós mesmos através de blogs, Youtube ou como nos exemplos acima, através do Facebook, desde que sejam obedecidas as regras dadas pela WOF e sempre linkando e documentando todas nossas ações, nada nos impedirá.

Acredito eu que toda essa situação vexaminosa e por que não mesquinha, da qual o Othello nacional  se encontra hoje em dia, com todas as suas dissensões acabarão um dia, e se tudo der certo nada irá tolher o crescimento do jogo em nosso país, aos poucos estamos abrindo mão daquilo que não precisamos, e rumando ao que realmente nos interessa, tendo em mente que a Federação Brasileira de Othello não é sine qua non, e que não atenderemos aos caprichos alheios de um jogo que é de todos nós, onde todos podemos e devemos opinar para render melhorias.  Chega de respostas evasivas! Chega de promessas que nunca vingam, oriunda de interesses meramente pessoais.

O amor ao jogo é a nossa égide, se você tá junto nessa, não deixe de participar dos nossos grupos no Facebook: Brazucas Por Othello e Revolução Paulista Othello/Reversi, e no nosso grupo do Whatsapp. (Para participar do nosso grupo no Whatsapp é só me procurar no Facebook com o nome de Fabrício Silva e me enviar uma mensagem privada com o seu número de telefone, deixarei o link das páginas no Facebook e do meu próprio Facebook abaixo).

Obrigado a todos.

Meu Facebook:                                  https://www.facebook.com/othello.classic

Brazucas Por Othello:                        https://www.facebook.com/groups/143613342480371/

Revolução Paulista Othello-Reversi: https://www.facebook.com/groups/584134961753584/

Nenhum comentário: